Draw everywhere, and all the time. An artist is a sketchbook with a person attached.
Irwin Greenberg





2006-03-19

Dos Cadernos de Viagens # 13

Deste esboço lembro-me bem talvez pela nostalgia que sinto desse dia que passei nos castelos cátaros do sul da França. Este foi um esboço muito rápido feito junto ao local onde se deixavam os carros e enquanto as pessoas que comigo estavam compravam alguns postais.

O castelo é o de Quéribus; para mim, um dos mais impressionantes. Não tem as sublimes ruínas de Peyreperthus - difíceis de se verem ao longe - mas tem a imponência da solidão estática. Aqui toda a mística dos cátaros está bem patente.


I can't forget with a nostalgic eye the day I've passed in the cathars castles in south France. This is a quick sketch I have done at the place.

This is Quéribus castle; for me, one of the most impressive ones. This is not the legendary ruins of Peyreperthus - hard seen away - but has the mystic of the static loneliness. Here we can find the mystic of the cathars.






5 comentários:

luisa disse...

"A imponência da solidão estática..." Isso é já muito belo, Helena!

wind disse...

Belíssimo!

Alina Chau disse...

V nice drawing!

M disse...

A beleza viajando na ponta de um lápis. Que sorte tens!

nnannarella disse...

_______________

Cheguei há duas semanas de uma volta pelos castelos cátaros.

Percebo a nostalgia de que fala.
Senti-a, e também ums espécie de encantamento.

Não apenas pela História da "mística". Pelo próprio "espírito dos lugares" e que o seu esboço bem ilustra.

Senti coisas parecidas nos ermos franciscanos da Úmbria. Que (por acaso?), momento houve em que também foam considerados "heréticos"...

Foi bom. Arrivederci.:)