Draw everywhere, and all the time. An artist is a sketchbook with a person attached.
Irwin Greenberg





2011-01-09

Ruínas de Lisboa



A quinta das Conchas ao Lumiar era a casa de verão de Faria Mantero que a doou ao Estado; tal como doou o seu palacete ao Restelo hoje propriedade da Santa Casa da Misericórdia.


Arranjaram a quinta transformando-a num dos belos parques da cidade e deixaram, a meu ver muito bem, ficar a mata onde estava instalada a casa, um palacete que já conheci abandonado mas não em ruínas. Nestes anos nada lhe fizeram a não ser emparedar a porta e as janelas debaixo. Ficou com um ar fantasmagórico mas donde o sublime se ausentou - um desleixo, uma ruína que Mantero não deveria gostar de ver.


Hoje quando passei desenhei-a de fora da quinta das Conchas por entre o casario da Alta do Lumiar.


Será que a Câmara, actual proprietária, não pode fazer nada por este esqueleto cujo destino actual é a perfeita ruína?

7 comentários:

Luís Ançã disse...

O espelho do país...

ma grande folle de soeur disse...

Mas o desenho está bonito. :)

Galeota disse...

Era interessante que através das Juntas de Freguesia e com o apoio da Câmara as populações pudessem contribuir na preservação do seu património(o edificado e todas as outras formas de expressão cultural).

Sue Pownall (aka travelingsuep) disse...

Looks an interesting place.

Ad astra disse...

eu gosto deste desenho

argumentonio disse...

e faz-se em desenho uma declaração de amor...!

;_)))

Sasha Lima disse...

Na proposição 287 do orçamento participativo que vai a votação até 31 de Outubro esta casa de Faria Monteiro faz parte de um plano de restauro